O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

 

NOTÍCIAS
 
09/06/2010 - 13:05h
REGULAMENTO DE CANTO CURIÓ PRAIA GRANDE – FEOSP 2010

 

REGULAMENTO DE CANTO CURIÓ PRAIA GRANDE – FEOSP 2010

Conselheiros Técnicos de Curió que assinam este Regulamento:

CTF 230.410 Luiz Sergio da Silva - Marilia

CTF 319.747 Olivio Nishiura - Serca

CTF 343.426 Jose Carlos Lense Escalante - Jundiai

CTF 429.816 Junichi Yonemura - Serca

CTF 1.886.236 Jose Eduardo Puzziello - Bauru

1 - Categorias:

1.1 - Categoria A - Praia Grande Clássico com e sem repetição.

1.2 - Categoria B - Praia Grande Pardo Clássico com e sem repetição.

1.2.1 - Para ser considerado pardo é necessário ter mais que 50% da cor parda.

Em caso de dúvida consultar um Conselheiro Técnico antes de fazer inscrição.

1.2.2 – Contagem de Canto:

Seguir os mesmos critérios da Categoria Praia Grande Clássico (Preto), porém

considerar somente três módulos de repetição.

2 - Requisitos Obrigatórios:

2.1 - Categorias A/B – Praia Grande Clássico e Praia Pardo.

Entrada de Canto, Notas de Ligação, Quim Quim, Samaritá e Batidas de Praia.

2.1.1 - Entrada de Canto: é obrigatório emitir pelo menos 50% (cinqüenta por

cento) das cantadas, durante a sua apresentação, caso contrário será

considerado fora de prova (exceto linha Xodó).

2.1.2 – Notas de Ligação, Quim Quim e Samaritá: Poderá ser emitido com uma

nota ou não ser emitidas, desde que predomine uma quantidade superior a

70% de todos os cantos com duas notas, caso contrário será considerado fora

de prova.

2.1.3 – Batidas de praia: deverão ser emitidas com duas ou mais notas na

passagem de canto ou no arremate, que serão consideradas para efeito de

colocação de notas e apresentação.

2.1.4 – Módulo de Entrada e Repetição: durante a apresentação deverá emitir

no mínimo duas cantadas compostas do módulo de entrada de canto e no

mínimo um módulo de repetição.

2.1.5 – Caso um expositor apresente um pássaro da linha Xodó ou Patrício,

deverá ser julgado como tal em qualquer das duas categorias.

2.2 – CANTO

2.2.1 - Corresponde ao número de cantos completos ou que o curió emite em

uma cantada.

2.2.2 – Canto Completo: será considerado quando o curió fechar o canto com

no mínimo duas notas de batidas de praia ou ultrapassá-las cortando o canto

posteriormente.

2.3. CANTADA

2.3.1 - Corresponde a todas as vezes que o curió inicia e termina uma cantoria

com ou sem repetição durante sua apresentação.

2.3.2 – Exemplo de cantada: se durante a apresentação um curió emitir

somente duas cantadas de cinco cantos, ou seja, cinco repetições, ele emitiu

dez cantos. Se houver falha de uma nota no primeiro canto de cada cantada,

significa que falhou duas vezes a mesma nota.

Concluindo:

Duas cantadas de cinco cantos são iguais a dez cantos;

Duas falhas no primeiro canto são iguais a 20% (vinte por cento) de falha.

E neste exemplo, o curió deverá permanecer nesta categoria porque emitiu

80% (oitenta por cento) de todas as notas e receberá nota do juiz de zero a

dez.

3 – Requisitos qualitativos:

Além dos requisitos obrigatórios, deverão ser considerados para efeito de atribuição

de notas, análise de coesão e harmonia, os seguintes quesitos para todas as

categorias:

3.1 – Voz;

3.2 – Andamento de canto (nitidamente moderdo);

3.3 - Melodia;

3.4 – Colocação das notas;

3.5 – Notas mais longa;

3.6 – Passagem de canto com balanço;

3.7 – Arremate (fechamento de canto) com no mínimo duas notas de batida de praia

com ou sem purru;

3.8 – Apresentação (disposição/repetição);

4 – Defeitos ou Deficiências:

Serão considerados defeitos ou deficiências, com observância do número de vezes,

intensidade e a posição em que os mesmos ocorrem dentro da cantada os seguintes

itens:

4.1 – Samaritá em fit-fit, pouco destacado ou semelhante;

4.2 – Aberturas em que quél, tais-tais, quaiaquil e outras;

4.3 – Remontagem de canto (quim quim tói);

4.4 – Vícios, notas estranhas, rasgada ou purru na divisão de canto;

4.5 – Voz muito fina ou muito grossa, musicada, rouca, metálica, com chiado ou

sotaque de outra categoria diferente de Praia Grande;

4.6 – Perdidas (destoando do canto);

4.7 – Retorno de canto.

Obs.: Quando emitir Purrú ou Rasgada em “R” antes da entrada de canto ou

arremate, após as batidas de Praia, não será considerado defeito.

5 – Contagem de Canto e critérios:

5.1 – As repetições serão contadas nos módulos de repetição, sem considerar o

módulo de entrada;

5.2 – Será considerado repetidor o curió que durante a sua apresentação passar no

mínimo duas cantadas com repetição ou uma cantada igual ou superior a quinze

cantos, abaixo deste desempenho será considerado não repetidor.

5.3 – A contagem de repetição não será interrompida quando o curió dividir o canto

com purru, rasgada (arrasto) descarga etc.etc.;

5.4 – A somatória das repetições será composta apenas por parcelas iguais ou

superiores a quatro módulos de repetição;

5.5 – As repetições devem ser contadas nos módulos de repetição, fechando o canto

com no mínimo duas notas de batidas de praia cortando o canto posteriormente;

5.6 – Após passar como repetidor, não será mais necessário continuar contando as

demais repetições. No entanto, todas as repetições serão consideradas para efeito de

nota no quesito apresentação.

6 - Atribuição de Notas:

6.1 - Receberão notas todos os curiós de acordo com a sua categoria, ficando sempre

1 (um) curió pré-classificado, caso haja alguma desclassificação após o término do

torneio;

6.2 - Dependendo de sua aprovação, o curió em julgamento receberá do Juiz uma

nota variável de 0 (zero) a 10 (dez), considerando-se as frações, para cada um dos

requisitos qualitativos (baseado no sistema de atribuição de notas)

6.3 - A média final dos curiós repetidores será a nota atribuída pelo juiz, para cada um

dos requisitos qualitativos, conforme item 5.2 e lançado no mapa na coluna dos

repetidores;

6.4 - A média final dos curiós não repetidores será a nota atribuída pelo juiz e lançado

no mapa na coluna dos não repetidores;

6.5 - Nas provas de Praia Grande Clássico, e Praia Grande Pardo, deverá ser

descontado (da nota final) 1 (um) ponto para cada abertura.

7 - SISTEMA DE ATRIBUIÇÕES DE NOTAS PARA JUÍZES:

7.1 - Requisitos Qualitativos:

1º - Colocação de Notas de 0 a 10

2º - Voz de Praia de 0 a 10

3º - Melodia de 0 a 10

4º - Andamento de 0 a 10

5º - Apresentação de 0 a 10

Obs.: as notas serão dadas por quesito, somadas e dividida por cinco.

7.2 - Deduções na nota final:-

1º - Notas estranhas ou rasgada/purrú na divisão canto - 0,50 cada

2º - Retorno de canto - 0,50 cada

3º - Abertura - 1,00 cada

4º - Passagem Lisa/Remontagem de canto (quim quim tói) -1,00 cada

OBS. Se o curió der notas estranhas, retorno de canto, abertura ou passagem lisa

(quim quim tói), não descontar na colocação de notas e sim na nota final.

1.2 NOTAS DO CANTO PRAIA GRANDE CLÁSSICO – PRETO E PARDO

Módulo de Entrada

Ti Tu-i - notas de entrada de canto

té té - 2 notas de preparação ou ligação

Quim Quim tói - 2 notas de Quim Quim com Toi

té té - 2 notas de preparação ou ligação

Tué Tué - 2 ou mais notas de batida de praia

Módulo de Repetição primeiro canto

Quim Quim - 2 notas de Quim Quim

té té - 2 notas de preparação ou ligação

Uil Uil - 2 notas de Samaritá

té té - 2 notas de preparação ou ligação

Quim Quim tói - 2 notas de Quim Quim com Toi

té té - 2 notas de preparação ou ligação

Tué Tué - 2 ou mais notas de batida de praia

Módulo de Repetição segundo canto

Quim Quim - 2 notas de Quim Quim

té té - 2 notas de preparação ou ligação

Uil Uil - 2 notas de Samaritá

té té - 2 notas de preparação ou ligação

Quim Quim tói - 2 notas de Quim Quim com Toi

té té - 2 notas de preparação ou ligação

Tué Tué - 2 ou mais notas de batida de praia

REGULAMENTO CURIÓ CANTO PRAIA GRANDE

Segue com base no mesmo regulamento de Canto Curió Praia Clássico,

alterando os seguintes requisitos:-

1 - Requisitos Obrigatórios:

1.1.1 – Entrada de Canto: O curió poderá emitir o bloco de notas de entrada do canto

ou não. Será observado para efeito de avaliação na colocação das notas e

apresentação.

1.1.2 – Notas de Ligação, Quim Quim e Samaritá: poderão ser emitidas ou não.

Quando emitida com uma ou duas notas será observado para efeito de apresentação.

1.1.3 - Batidas de Praia deverão ser emitidas com duas ou mais notas no módulo de

entrada de canto, na passagem, bem como no arremate e serão consideradas para

efeito de colocação das notas e apresentação.

1.1..4 - Durante a sua participação, deverá emitir no mínimo duas cantadas completas.

Obs.: O curió Praia Clássico que se apresentar nesta prova será considerado fora de

prova.

1.1.5. - Caso um competidor apresente um curió que cante a linha Xodó ou Patrício,

deverá ser julgado como tal em qualquer das duas categorias.

1.1.6 Nesta prova de Praia Grande deverão ser descontados (da nota final) 1 (um)

ponto para cada abertura.

6 - SISTEMA DE ATRIBUIÇÕES DE NOTAS PARA JUÍZES:

6.1 - Requisitos Qualitativos:

1º - Colocação de Notas de 0 a 10

2º - Voz de Praia de 0 a 10

3º - Melodia de 0 a 10

4º - Andamento de 0 a 10

5º - Apresentação de 0 a 10

Obs.: as notas serão dadas por quesito, somadas e dividida por cinco.

6.2 - Deduções na nota final:-

1º - Notas estranhas ou rasgada/purrú na divisão canto - 0,50 cada

2º - Retorno de canto - 0,50 cada

3º - Abertura - 1,00 cada

OBS. Se o curió der notas estranhas, retorno de canto, abertura, não descontar na

colocação de notas e sim na nota final.

INSTRUÇÕES AOS JUÍZES DE CANTO, PRAIA GRANDE:

- O juiz pré-escalado pela Federação que por algum motivo não for atuar, deverá

comunicar ao Conselho Técnico de Canto Praia, em no mínimo, 5 (cinco) dias antes

do torneio.

Para o bom andamento dos torneios, os Conselheiros Técnicos de Canto Praia da

Federação solicita aos juízes a leitura do Regulamento, que deverá ser seguido na

íntegra para que se tenha um julgamento justo e perfeito.

- Além do cumprimento do regulamento, os juízes devem observar os seguintes

pontos:

a) Contagem de repetições: ausência de Samaritá, (quim quim tói), e aberturas: o juiz

titular autorizará o juiz auxiliar na contagem dos itens acima, ou somente aqueles

que acharem necessário;

b) Na categoria de Curiós Praia Grande Pardo: antes de dar início à contagem de

tempo, verificar se o pássaro está dentro dos parâmetros, isto é, possuir

obrigatoriamente mais de 50% de cor parda;

c) Aberturas: anotar com rigor as aberturas, porém analisar bem, a fim de não

confundir com arrastos ou rasgadas, bem como pialadas ou notas estranhas;

d) Fora da Prova: quando o pássaro estiver fora da categoria na qual foi inscrito,

anotar no mapa “Fora da Prova”. O participante somente tomará conhecimento

quando for afixado o mapa. No entanto, o juiz deverá permanecer no local durante

15 minutos após o final da prova e deverá estar preparado para dar

esclarecimentos, bem como instruir o participante se for procurado. Este

esclarecimento só poderá ser dado exclusivamente ao proprietário e com referência

somente ao seu curió.

e) Nota de Canto: não diminuir a nota que deverá ser atribuída no ítem “Colocação de

Notas” em função de Notas Estranhas, Retorno de Canto, Aberturas ou Passagem

Lisa (quim quim tói), pois o mesmo já é penalizado pelos descontos. Caso contrário

será penalizado 2 (duas) vezes.

REGULAMENTO PARA OS PARTICIPANTES DO TORNEIO DOS CAMPEÕES:

Primeira Final será no Cubivale dia 12-12-2010.

Segunda Final será em Santa Catarina – Balneário Camburiú diia 19-12-2010.

1 – Critérios para esta competição:

Para competir no Torneio dos Campeões, tanto o expositor como seu pássaro,

precisam ter cumprido todos os requisitos exigidos no Regulamento Feosp 2010, além

de continuar cumprindo, tanto na primeira final (12-12-2010) como na segunda (19-12-

2010).

1.1 - O Cartão Magnético tem que estar em vigor e liberado no torneios.org.br, caso

contrário fica vedado a participação.

1.2 – Somente será classificado o pássaro que participar de metade mais uma de

todas as etapas do Torneio Brasileiro ou do Torneio Sul Brasileiro.

1.3 – Nenhum pássaro poderá participar do Torneio dos Campeões havendo qualquer

tipo de reclamação ou pendência junto à Federação ou Associação dos Clubes.

Havendo alguma pendência a Diretoria se reunirá em convocação extraordinária no

dia 07/12/2010 para liberação sobre o assunto, e, neste mesmo dia o reclamante será

informado por carta, e-mail ou telefone, além de ser disponibilizada no SITE da

Federação ou Associação dos Clubes a decisão.

2 – Serão Classificados:

2-1 - Os doze melhores classificados na categoria Praia Clássico com repetição Feosp

e, os cinco melhores classificados do Torneio Sul Brasileiro, totalizando dezessete

curiós;

2-2 – Os nove melhores classificados na categoria Praia Clássico sem repetição

Feosp e, os três melhores classificados do Torneio Sul Brasileiro, totalizando doze

curiós;

2-3 - Os oito melhores classificados na categoria Praia Pardo com repetição Feosp e,

os três melhores classificados do Torneio Sul Brasileiro, totalizando onze pássaros;

2-4 – Os oito melhores classificados na categoria Praia Pardo sem repetição Feosp e,

os dois melhores classificados do Torneio Sul Brasileiro, totalizando dez pássaros;

2-5 - Este número não será alterado em nenhuma hipótese, já que não existe a

possibilidade de empate entre os classificados.

3 – Classificação Final:

3-1 - A classificação final será a soma das notas conseguidas no Cubivale (12-12-

2010) e Balneário Camburiú (19-12-2010), dividido por dois, usando-se a quantidade

de decimais necessárias para desempate e se houver dizima período composta o

pássaro melhor classificado no torneio Brasileiro será o vencedor. Se um pássaro

repetir numa etapa e não repetir na outra será considerada para efeito de classificação

no Torneio a maior nota, dividida por dois.

3-2 – Serão premiados os 5 (cinco) curiós melhores classificados nas suas respectivas

categorias: Praia Clássico com e sem repetição e Praia Pardo com e sem repetição.

4 – Sistema de Atribuições de notas.

Sistema de Atribuições de notas pelos Juízes será o mesmo do Regulamento Feosp

utilizado no torneio Brasileiro.

5 – Juízes e procedimentos:

Serão convocados para estas duas etapas:

6.1 - 5 (cinco) juízes Federados Feosp e, 2 (dois) Sul Brasileiro;

Os juízes darão as notas de 0 a 10 para cada quesito, considerando as frações e as

deduções;

6.2 - 1 (um) coordenador;

Após a apresentação de cada curió o coordenador recolhe as notas (fichas) e entrega

para o primeiro mesário;

6.3 - 3 (três) mesários. Sendo dois da Feosp e um do Sul

6.4 - Primeiro mesário: processa a nota, passando para o local correto na ficha, deduz

notas negativas se houver; (este procedimento será feito com um programinha no

notebook).

6.5 - Segundo mesário: transcreve para ficha manual (evitar qualquer problema).

6.6 - Terceiro mesário: confere a ficha de apuração manual passada pelo segundo

mesário.

Obs.: Todos ficarão incomunicáveis entre si.

7 - Notas

Das 7 (sete) notas apuradas, serão eliminadas a maior e a menor nota e, as cinco

restantes válidas, serão somadas e dividas por cinco, sendo o resultado a nota

definitiva.

8 – Tempo de Apresentação

O tempo de apresentação será 6 (seis) minutos.

9 – Horário - O início do Torneio será as 7 horas 30 minutos.

10 – Das provas:

A prova de Clássico e Pardo serão na mesma estaca e a ordem de chamada será

alternada, começando pelo Pardo. Terá preferência na ordem de chamada, o pássaro

que melhor se classificou no Torneio Brasileiro e Sul Brasileiro.

11 – Os casos omissos serão resolvidos durante a competição pelo Conselho Técnico

Feosp presente na competição.

Fim


< voltar

 
 
www.fundodovale.com.br - 2017 - Desenvolvimento: